Mundo Mulher

/

Queda de cabelo: acabe com o problema pela raiz

25/07/2012

Sinônimo de juventude, objeto número um da vaidade, moldura do rosto... As madeixas são o foco de preocupação de homens e mulheres. Foi sem seus cabelos que Sansão perdeu as forçar. Já o ditado que afirma “que são dos carecas que elas gostam mais” deixa dúvidas em muita gente a respeito de sua veracidade. Por isso, ao menor sinal de queda de cabelo, eles e elas já ficam em estado de alerta. Mas, como saber se uma queda um pouco mais acentuada de fios é um processo natural do corpo, com data certa para terminar, ou se ela é indício de problemas mais graves e deve ser severamente cuidada e, mais, como saber se ela não anuncia o começo de um processo de calvície?
Pensando nisso, o dermatologista Mario Chaves, da clínica Derma Gávea, elaborou uma lista dos principais motivos para a queda de cabelo, esclarecendo as principais dúvidas sobre o tema.

Alterações significativas na aparência do cabelo podem impactar a autoestima das pessoas
 
Seja na hora do banho, no travesseiro ou nas escovas, a queda constante dos fios deixa qualquer um de “cabelo em pé”. A idade e a genética são consideradas os principais motivos para a queda de cabelo, tanto em mulheres, quanto em homens. No entanto, outros fatores como estresse, menopausa, consumo excessivo de álcool, tabagismo e até mesmo exposição exagerada ao sol, podem desencadear o problema. Mas, não é preciso se desesperar! Alguns processos da queda de cabelo têm cura e são facilmente tratados com a orientação do dermatologista. Outros, ainda que não seja possível trazer a antiga cabeleira de volta, podem ser amenizados, evitando que se chegue a um caso de calvície.
 
Nas mulheres, há ainda mais um fator que contribui para a queda de cabelo, o uso de químicas para colorir, alisar, encaracolar. É justamente por isso que elas estão mais habituadas a perder alguns fios cotidianamente. No entanto, para os homens, por não estarem habituados a ter o cabelo caindo (e por terem o cabelo mais curto, o que dificulta a percepção da perda de fios), qualquer aumento de queda dos fios já o leva a crer (desesperadamente) na calvície, o que nem sempre corresponde à verdade.
 
É preciso analisar caso a caso, a fim de identificar as verdadeiras origens do problema para que se possa ministrar o tratamento adequado, como explica o dermatologista Mario Chaves, da clinica carioca Derma Gávea:
 
- A queda de cabelo é um processo natural. Todos os dias, as pessoas perdem cerca de cem fios. No entanto, a perda anormal de cabelos pode ter motivações internas e externas, inspirando cuidados na hora do diagnóstico. É fundamental que o paciente busque imediatamente um especialista e evite tentar amenizar o problema com o uso de shampoos para queda de cabelos, vendidos nas prateleiras de mercados e farmácias – alerta o especialista, frisando, ainda que, até mesmo para os calvos é possível recuperar a cabeleira, com o uso de técnicas cada vez mais modernas de implantes capilares.
 
Confira a lista de fatores que podem levar à queda de cabelo, elaborada pelo dermatologista Mario Chaves:
 
Causas externas
 
Geralmente são provocadas por desgaste por produtos químicos como:
Ø    Escova progressiva;
Ø    Tinturas de má qualidade;
Ø    Tração dos fios – como em sessões de alisamento ou uso excessivo de penteados que puxem o cabelo para traz;
Ø    Acúmulo de resíduos de cremes, gel e pastas no couro cabeludo.
 
O especialista orienta, sobretudo, que nem todas as causas externas são impulsionadas por fatores químicos, que levam o cabelo a cair por causarem anomalias na cutícula, que alteram a estrutura do couro cabeludo e dos fios. Sol, secador, água muito quente todo dia na hora do banho e o cloro da piscina podem impulsionar a queda: “Entre as causas comuns de origem não-química estão exposição excessiva ao sol, uso diário de secadores e escovação brusca, entre outros”, elenca o especialista.
 
Causas internas
 
Ø  Micoses do couro cabelo
 
Infecção contagiosa e mais comum em crianças. “Inicialmente são formadas pequenas áreas de fios quebradiços, vermelhidão e inchaço. O tratamento é feito com medicação oral indicada pelo dermatologista”, explica o Dr. Mario.
 
Ø  Pós-parto
 
Geralmente após o parto, ocorrem casos de queda de cabelo em algumas mulheres. Essa queda é totalmente normal, acontecendo enquanto o organismo da mulher se recupera dos desequilíbrios hormonais da gravidez. Outro fator agravante é a amamentação, período em que a mãe dispõe de muitos nutrientes para o bebê através do leite.
 
Segundo o Dr. Mario, a queda de cabelo normalmente inicia de dois a três meses após o parto, normalizando até seis meses depois. Dicas como evitar banhos quentes, escovação exagerada e realizar massagens no couro cabeludo com as pontas dos dedos são essenciais para ajudar a diminuir a queda.
 
 
Ø  Uso de pílula anticoncepcional
 
Em mulheres que já apresentam queda de cabelo e passam a tomar pílulas anticoncepcionais pode acontecer uma queda maior dos fios. Porém, o Dr. Mario alerta que caso a queda se torne efetiva, é necessário consultar o ginecologista para substituir o anticoncepcional usado.
 
Ø  Calvície hereditária
 
Chamada de alopecia androgenética, a calvície hereditária se manifesta tanto nos homens quanto nas mulheres. É causada por um gene único, autossômico e dominante, com incidência reduzida entre o sexo feminino, se comparada com a manifestação em homens - mais de 50% tem calvície hereditária. Estima-se que muitas mulheres passem pelo problema sem nem perceber, já que existem inúmeras outras causas para a queda de cabelo.
 
Enquanto os homens ganham as famosas “entradas” na linha de implante do cabelo e próximas à testa, as mulheres perdem os fios na parte central do couro cabeludo, no alto da cabeça, fazendo o formato de uma coroa. Além disso, nelas o couro cabeludo oleoso, rarefação dos cabelos e sentir diminuição do volume de cabelo são alguns dos sintomas da calvície feminina.
 
- Sendo diagnosticada a calvície, o tratamento pode ser feito pelo uso de medicamentos via oral para reduzir a queda e, em casos mais severos, podem ser feitos transplantes capilares – orienta o dermatologista Mario Chaves.
 
Ø  Febre alta e infecções
 
Uma gripe forte pode levar à queda excessiva dos cabelos por algum tempo, cessando espontaneamente, sem inspirar preocupação. Mas é preciso ficar atento para a queda contínua e consultar um dermatologista caso o problema continue.
 
 
www.dermagavea.com.br

Localizada na Gávea, Zona Sul do Rio de Janeiro, a clínica Derma Gávea conta com uma equipe médica especializada e aparelhos de última geração voltados à prevenção e cura de doenças de pele, cabelo e unhas, bem como diversos tipos de tratamentos estéticos. Seus profissionais se destacam nas áreas de rejuvenescimento, prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças de pele, bem como combate à celulite, flacidez, acne, manchas, estrias, gordura localizada, manchas senis, marcas de expressão, entre outros. Além disso, prestam auxílio a pacientes em questões relacionadas a temas como fotoproteção, depilação, prevenção e tratamento de doenças dermatológicas e cirurgia dermatológica.

Dr. Mario Chaves – dermatologista – Rio de Janeiro
 
Especialista graduado em medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com pós-graduação em Dermatologia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). É sócio e faz parte do corpo clínico da clínica Derma Gávea, localizada na Zona Sul do Rio de Janeiro. Além disso, é auxiliar de pesquisa do Serviço de Dermatologia do Hospital Universitário Pedro Ernesto, da Uerj, atuando também no ambulatório de cirurgia dermatológica. Entre suas principais áreas de trabalho estão: cirurgia dermatológica, cuidados com a pele, unhas e cabelos.
Gabriel Coelho -  atendimento2@donacomunicacao.com.br

 


 

Mundo Mulher
Mundo Mulher
Mundo Mulher
box_veja