Mundo Mulher

Diálogo entre Pais e Filhos

Consulte aqui os artigos anteriores



Existe uma sutil diferença entre diálogo e monólogo informativo, a diferença implica no resultado que pode ser efetivo ou não passar de um bla´-blá-blá sem muito aprendizado.

Com o velho chavão de que o diálogo remove montanhas na educação dos filhos, muitos pais pensam que dialogar é repassar informação, dialogar pressupõe uma participação ativa entre quem fala e quem ouve, num processo dinâmico e contínuo.

Atualmente, pela falta de tempo dos pais, outras vezes desinformação e em algumas, a total indisponibilidade dos pais em lidar com a criança, adolescente...., o diálogo virou monólogo ou seja : eu falo e você escuta, conseqüência : perde a eficácia e fica a sensação :” mas conversei tanto com meu filho, em casa dialogamos sobre todos os assuntos, e por que não adiantou ?”

Pelo simples motivo de desconhecer as ferramentas do diálogo, todos nós humanos sabemos que uma boa conversa pode alterar o rumo, na política, na escola, em casa, nos relacionamentos afetivos, mas é bom lembrar que tipo de diálogo estamos mantendo nas nossas relações sejam elas profissionais, afetivas ou familiares .

Algumas ferramentas do diálogo podem ajudar, tente experimentar e o resultado conseqüentemente será diferente :

Em todo diálogo entre pais e filhos deve existir um espaço para a escuta, a escuta é diferente do ouvir, a audição é apenas a captação dos sons enviados e processados, a escuta exige sensibilidade, disponibilidade ,mesmo se o que está sendo dito é diferente do que você pensa e acredita, antes de falar, procure escutar sem pré- conceitos, apenas escutar....

Toda informação a ser repassada para os filhos exige conhecimento do assunto e coerência de atitudes dos pais, como dialogar com o filho se o exemplo repassado no dia a dia é contraditório, procure associar pensamento com ação.

Saiba compreender que por mais que você tenha a experiência de vida nem sempre esta experiência garantirá que seu filho siga a risca, respeitar a individualidade é importante, aí está a sutil diferença entre dialogar e impor idéias, atitudes.

O excesso e acesso a informação seja ela na escola , na internet, nos meios de comunicação jamais substituem aquele diálogo franco, amigo entre pais e filhos, a informação deve ser questionada, analisada e a figura dos pais é muito importante na formulação de novos conceitos e aquisição de princípios éticos e morais.

Compreender erros e acertos, sem massacres... , a comunicação pressupõe equilíbrio, tom de voz, energia e coração atento, quando acontecer o erro( tão natural nas nossas vidas), procure compreender dentro da perspectiva do outro , só assim saberá intervir de forma positiva, gritos,acusações não acrescentam ,pelo contrário diminuem a possibilidade de um diálogo genuíno.

O diálogo deve acontecer sempre “entre” duas pessoas, por isso a importância de estabelecer o momento mais adequado, jamais converse sobre coisas particulares na presença de outras pessoas, não exponha seu filho.

Saiba ouvir a voz que sai do coração e boa sorte !!!!!











Mara Cristina Suassuna Costa
Psicóloga Clínica e Organizacional
Clínica: Espaço de Ser
Endereço: Rua 128 ,50 Setor Sul - Goiânia - GO
Fones: 281-6069/281-6452/915-5879.
Graduada pela Universidade Católica de Goiás
Pós -Graduada em Administração de Empresas pela FAAP-SP
Especialista em Gerontologia e Saúde do Idoso - Universidade Federal de Goiás-UFG
Especializanda em Obesidade e Transtornos Alimentares CEPSIQ/USP
Consultora Organizacional Psicóloga - CRP 02320/9

Mundo Mulher
Mundo Mulher
Mundo Mulher
Mundo Mulher
Mundo Mulher
Mundo Mulher