Mundo Mulher

Cardíacos x Exercícios

Cardíacos x Exercícios


Cardíacos x Exercícios

A  realização  de  exercícios  físicos  é  recomendada  para  todas  as  pessoas  como  uma  das  melhores  formas  de  se  manter  saudável,  porém  é  de  extrema  importância,  antes  de  se  submeter  a  um  programa  de  exercícios,  que  sejam  realizados  uma  série  de  exames  capazes  de  determinar  quais  atividades  se  está  apto  a  fazer.  Muitas  vezes,  sem  o  devido  acompanhamento,  pessoas  podem  achar  que  estão  fazendo  bem  à  saúde  exercitando-se  de  certa  maneira,  no  entanto  podem  lesionar  membros,  machucar-se  e  até  mesmo  ocasionar  um  grave  problema  de  saúde.

Segundo  a  Personal  Trainer  Cristina  Rosa  Vianna,  da  clínica  Dominium  Corpus,  se  há  algo  fisiológico  como  necrose  de  parte  do  músculo  cardíaco  ou  algum  problema  no  ventrículo  direito,  há  possibilidade  de  se  praticar  a  maioria  dos  exercícios  físicos,  porém  com  menor  esforço.  "No  caso  de  um  problema  no  ventrículo  esquerdo,  que  transporta  sangue  arterial,  aí  sim  há  inúmeras  práticas  que  não  podem  ser  realizadas",  afirma  Cristina.

A  profissional  dá  as  dicas  para  que  as  pessoas  que  tenham  algum  tipo  de  problema  possam  realizar  exercícios  físicos  sem  preocupações.  "Antes  de  qualquer  coisa  é  imprescindível  o  acompanhamento  de  um  orientador  gabaritado  e  especializado,  o  trabalho  deve  ser  feito  sempre  de  forma  individual,  a  progressão  no  ritmo  dos  exercícios  deve  ser  de  forma  lenta,  com  pouca  duração  e  baixa  intensidade,  deve-se  dar  ênfase  para  as  atividades  aeróbicas  e  não  esquecer  de  controlar  a  freqüência  cardíaca"  alerta.
Por  outro  lado,  a  Personal  indica,  também,  os  exercícios  que  os  cardiopatas  não  devem  realizar.  "A  prática  de  trabalhos  anaeróbios  não  é  recomendada  devido  ao  aumento  na  freqüência  cardíaca"  conclui  Cristina.

A  orientadora  esportiva  Paula  Ferreira  Gonzalez,  também  da  Dominium  Corpus,  explica  que  o  esforço  em  excesso  pode  ocasionar  "falência"  do  músculo  cardíaco  e  a  pessoa  pode  desmaiar.  "Por  isso  é  importante  um  acompanhamento  próximo  onde,  muitas  vezes,  temos  de  fazer  com  que  o  aluno  que  tenha  essas  características  tome  beta-bloqueador  para  segurar  a  freqüência  cardíaca",  alerta.

"Recomendamos  que  o  cardiopata  exercite-se  de  duas  a  três  vezes  por  semana  em  sessões  com  duração  de  20  a  40  minutos  e  que  faça  musculação  com  carga  baixa  com  várias  repetições  já  que  o  objetivo  é  condicionamento  muscular",  diz  Paula.    Segundo  ela,  a  maioria  dos  alunos  com  esta  característica  têm  acima  de  40  anos  de  idade  e  possuem  histórico  de  obesidade,  pressão  alta  e  alto  nível  de  colesterol.  Para  finalizar,  a  profissional  revela  um  dado  de  suma  importância  aos  cardiopatas.  "Entre  outros  benefícios,  as  atividades  físicas  podem  reduzir  a  quantidade  de  medicamentos  que  a  pessoa  precise  tomar".

Mundo Mulher
Mundo Mulher
Mundo Mulher
Mundo Mulher
Mundo Mulher
Mundo Mulher