Mundo Mulher

Livros /

Thalita Rebouças lança seu primeiro livro adulto

13/12/2012

Foto

 

Thalita Rebouças resolveu mudar de ares. Ao menos um pouquinho. Depois de doze anos de carreira, treze livros lançados e 1,3 milhão de exemplares vendidos graças ao sucesso de sua série adolescente “Fala sério”, a escritora começou a se arriscar nos textos para os adultos. De um blog com atualizações semanais no site da Veja Rio, Thalita finalmente se lança na literatura para gente grande com a compilação “Adultos sem filtro e outras crônicas”, com lançamento carioca nesta quarta, às 19h, na livraria Argumento, no Leblon. E ela não para por aí: estão a caminho um musical, um filme e seu primeiro livro infantil. Tudo junto ao mesmo tempo agora.

Escrever para adultos, no entanto, não significa necessariamente “falar sério”.

— As pessoas não imaginam isso, mas é claro que eu preciso falar sério às vezes. Só que o meu intuito quando estou escrevendo geralmente é fazer rir, mesmo quando estou falando de assuntos mais delicados — conta a autora, fã de Luis Fernando Verissimo, João Ubaldo Ribeiro e Fernando Sabino, musos inspiradores de seus comentários sobre a vida. — Eu tenho o privilégio de ser cercada por pessoas com histórias que rendem crônicas prontas, então fica muito mais fácil falar para esse público mais velho.

Dividido em dez capítulos, “Adultos sem filtros” traz análises pessoais sobre a eterna luta feminina contra o espelho, histórias de taxistas, viagens, causos de família e até a hipocondria da escritora. Nos 42 textos, que na edição impressa ganharam notas de rodapé com curiosidades e comentários da autora, Thalita escancara sua vida, sem medo de se expor — e sempre com aquela pegada de “papo entre amigas”, muito presente em sua obra pregressa.

— Uma crônica é a sua observação do cotidiano, das coisas que você vive, então abrir o jogo e se entregar faz parte disso. No blog, escrevo sobre o que acontece comigo, aquilo que me vem à cabeça e não tem espaço nos meus livros adolescentes. Por que não poder falar de celulite e dividir com as mulheres da minha idade o problema da bunda caída? É uma exposição do bem, gosto de mostrar para as pessoas que elas não estão sozinhas.

Ao falar sobre temas mais maduros, Thalita não deixa de lado seu público mais fiel, que lota palestras, faz fila em lançamentos e está sempre em polvorosa com a presença da escritora. Os adolescentes que por ventura possam pegar o livro na estante dos pais não têm motivo pra se assustar.

— Tenho sempre a preocupação de não usar palavras chulas, não falo palavrão, então não vou colocar esse tipo de termo no meu texto. No novo livro, falo de temas mais adultos, como sexo e relacionamentos, mas de uma maneira leve. Não é nada a que o adolescente não tenha acesso na TV, na música, no cinema, em todos os veículos que ele acessa.

Diversificando públicos

Apesar de comemorar o retorno que recebe de seus leitores de mais idade, Thalita não pensa em enveredar de vez por esse caminho, seguindo os passos de J. K. Rowling, autora de “Harry Potter”, que encabeça as listas de mais vendidos com seu primeiro romance adulto, “Morte súbita”. Mas ficar restrita ao mundinho adolescente já não é mais opção. No primeiro semestre de 2013, Thalita faz seu début no mundo dos livros infantis com “Por que só as princesas se dão bem?”.

— Essa é mais uma experiência inédita para mim. Esse livro nasceu por causa da minha afilhada Bia, de 7 anos. Ela fala para todo mundo na escolinha que eu sou escritora, mas ninguém acredita porque meus livros não estão na biblioteca da creche! — diverte-se a sempre bem humorada escritora. — A personagem vai ter um dia de princesa e vai detestar toda essa coisa de salão, chapinha e paparazzi. Vamos ver se eu sei falar para crianças, nunca me pus à prova nesse sentido.

Depois de escrever ao lado de Ana Maria Moretzsohn, o episódio “A mamãe da Barra”, da série Global “As brasileiras”, Thalita continua a se aventurar no mundo dos roteiros. Além de dar “mil pitacos” e acompanhar de perto a produção do musical “Tudo por um popstar” — espetáculo baseado em seu livro homônimo, que estreia no Rio em janeiro — Thalita roteiriza a adaptação cinematográfica de “Tudo por um namorado”, que terá direção de César Rodrigues (de “Uma professora muito maluquinha”).

— Depois de 12 anos é bom ter novos desafios, ter coisas novas para fazer. Hoje estou trabalhando mil vezes mais, mas sempre acho que não vou ser capaz, até experimentar e seguir em frente. Eu fico com medo de botar o pé na água, mas quando vejo tô nadando na água gelada.

Goiasnet.com/O Globo

Mundo Mulher
Mundo Mulher
Mundo Mulher
box_veja